As profissões do futuro vão mudar?

0

Por Professor André Guadalupe

Nos últimos tempos, a tecnologia já estava desenhando um novo formato para o universo das profissões do futuro. Porém, com a chegada da pandemia, houve uma verdadeira aceleração das transformações sociais e de mercado.

É certo que muitas profissões ligadas ao universo digital vão tomar imensas proporções, porém, outras funções ligadas à área médica e de relações interpessoais também prometem receber um novo destaque.

Estudantes do Ensino Médio ficam de olho nas futuras profissões

No Ensino Médio, os estudantes buscam definir as profissões com as quais estão em sintonia. Em princípio, para fazer uma opção para o vestibular, mas, de forma geral, também começam a buscar um rumo para a própria vida.

Para quem está entrando na vida adulta, um cenário já era certo antes de março de 2020: a Quarta Revolução Industrial já estava gerando um impacto muito grande no mercado de trabalho, dando grande ênfase para profissões associadas ao universo digital e à Inteligência Artificial.

Porém, com a chegada da pandemia, as transformações foram imensamente aceleradas e um novo universo profissional se desvendou.

De acordo com o Relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em outubro, na verdade, o futuro já chegou. Segundo o relatório, criado em parceria com o ADP Research Institute, a pandemia afetou o mercado de trabalho muito mais rápido do que se esperava. O momento demonstra que mais de 80% dos negócios estão sofrendo planos de digitalização para implantação de novas tecnologias e 50% estão acelerando a implantação da automação para algumas funções. 

Segundo o relatório, em 2025, a automação e uma nova divisão do trabalho entre humanos e máquinas impactarão em 85 milhões de empregos em todo o mundo, em empresas de médio e grande porte em 15 setores e 26 economias.

O relatório Future of Jobs mapeia os empregos e habilidades do futuro, acompanhando o ritmo das mudanças, e divulga esse levantamento sempre no Fórum Econômico. Para o estudo deste ano, o relatório aponta que algumas áreas ganharam grande destaque, com foco muito grande no empreendedorismo.

Entre as áreas que estarão em ascensão estão a área da saúde, especialmente, o setor que está ligado com a tecnologia, e carreiras que valorizam o preparo físico.

O estudo também demonstra que as profissões que estão ligadas à gestão de dados e Inteligência Artificial vão crescer expressivamente, como desenvolvedor de Big Data e engenheiro de dados. Relacionado a essa área também estão as profissões ligadas à engenharia e computação em nuvem, como consultor de nuvem e engenheiro de plataforma.

Profissões ligadas ao marketing digital, desenvolvimento e implementação de estratégia, vendas e conteúdo também estarão em alta.

Cresce também as funções ligadas ao desenvolvimento de produtos, como os product owner e engenheiros de qualidade de software.

O “Future of Jobs” também aponta que profissões que busquem os cuidados com o meio ambiente também vão ganhar muito destaque entre as profissões do futuro, como engenheiros de energia e especialistas em sustentabilidade.

Além disso, profissões que também busquem talentos no mercado serão muito valorizadas como business partner e business partner de RH.

Pesquisa aponta tendências até 2028

A multinacional de tecnologia americana Cognizant também encomendou um estudo das principais profissões com futurólogos de mercado com tendências até 2028. O resultado apontou para 21 profissões do futuro, algumas com denominações bem interessantes, como alfaiate digital e controlador de tráfego autônomo (gerenciador de veículos autônomos e drones).

A Cognizant é líder mundial em tecnologia e negócios, fez esse levantamento com base em análises e insights coletados nos 10 anos de trabalho do Center for the Future of Work (CFoW – Centro para o Futuro do Trabalho) da empresa.

A publicação OOH (Occupational Outlook Handbook) do Bureau of Labor Statistics (BLS) aponta também que profissões ligadas à saúde (foco em genética), tecnologia e preparação e serviço de alimentos (food stylist) estarão entre as mais promissoras. A OOH está ligada ao Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, que inclui informações sobre a natureza do trabalho, condições de trabalho, treinamento e educação, ganhos e perspectivas de emprego para centenas de ocupações diferentes nos Estados Unidos.

A Indeed, um motor de busca de empregos criado nos Estados Unidos, também apontou algumas profissões que estarão em alta, como os tecnólogos médicos, que são os responsáveis pela manutenção e operação de equipamentos médicos. Enquanto outra profissão que ganha destaque no setor médico é a de fisioterapeuta, que é uma atividade que atua na prevenção e na reabilitação da capacidade física e funcional das pessoas.

Por outro lado, o estudo “Projetando 2030: uma visão dividida do futuro”, encomendado pela Dell Technologies Institute For The Future, diz que os estudantes que estão se formando agora vão trabalhar em profissões que ainda sequer existem. Segundo o Instituto, 85% dessas profissões só irão existir em 10 anos. A Dell Technologies é uma  empresa de hardware de computador dos Estados Unidos, que emprega mais de 106.700 pessoas no mundo inteiro.

Habilidades mais buscadas para o século 21

No Relatório Tendências de Capital Humano para 2021, encomendado pela Deloitte, um grupo de empresas de serviços britânica que realiza pesquisa constantemente sobre diversos setores, foi apontado que as organizações precisam ter foco em humanizar as relações de trabalho para crescer. Para compor o estudo foram entrevistados cerca de 9.000 líderes de negócios e RH em 119 países.

Para isso, devem abraçar três atributos: propósito, perspectiva e potencial. Dentro desses aspectos, especialmente depois da pandemia, algumas tendências estão surgindo: o trabalho projetado para o bem-estar, foco na resiliência para futuros incertos, criação de superequipes com integração da Inteligência Artificial e iniciativas para aumentar o senso de pertencimento dos trabalhadores e gerar mais conexão e engajamento com o ambiente de trabalho (seja presencial ou no home office).

Além disso, embora o cenário da Inteligência Artificial esteja ficando cada vez mais nítido, as habilidades das profissões do futuro que prometem abrir mais portas no mercado de trabalho no século 21 são tipicamente humanas, como:

  • Pensamento crítico;
  • Inteligência emocional;
  • Resiliência;
  • Adaptabilidade;
  • Capacidade para resolução de problemas complexos.
  • Os profissionais mais valorizados serão aqueles que demonstrarem flexibilidade, criatividade e espírito colaborativo.

Conclusão

A pandemia promoveu transformações em todos os setores da economia, não só no universo do trabalho. Algumas dessas mudanças tiveram um foco muito positivo, como o aumento da solidariedade entre as pessoas e o desejo por mais conexão (pessoal e virtual). O que percebe-se é que, em todos os aspectos, houve uma grande demanda por habilidades socioemocionais, que fazem parte dos projetos pedagógicos do Colégio Planck.

No Colégio, os estudantes são estimulados nas competências e habilidades socioemocionais, em ambientes mais criativos e lúdicos e com novas propostas de ensino, para que desenvolvam mais as suas potencialidades.

Com isso, a aposta é que esses alunos ganhem impactos positivos em sua vida pessoal e profissional, sendo pessoas mais criativas, bem-sucedidas e felizes em seu futuro.

Prof. André Guadalupe é Diretor e Cofundador do Colégio Planck

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here