São José registra queda nos casos de fluxo e perturbação de sossego

0

São José dos Campos apresentou uma queda expressiva nos casos de perturbação de sossego. Um levantamento realizado pela Secretaria de Proteção ao Cidadão com base no número de reclamações da população através do telefone 153, da Guarda Civil Municipal, mostra uma redução superior a 90% na região oeste.

A região oeste chegou a registrar 64 reclamações em março, 76 em abril e 5 em dezembro.

Os dados são referentes ao período de março a novembro e mostram queda nas denúncias de fluxo em todas as regiões da cidade.  Na região sul, a mais populosa de São José, em março haviam sido registradas 396 denúncias sobre fluxos nas ruas. Em novembro, foram 169 reclamações e em dezembro, um número ainda menor, 47. A redução chegou a 88%.

Em quantidade de reclamações, a queda na região leste também se destaca, com 302 queixas registradas em março e 51 em dezembro – redução de 83%.

Na região sudeste a redução foi de 79%, passando de 77 para 16 reclamações feitas pela população de março a dezembro do ano passado. Na região central, o volume de denúncias por fluxo e perturbação do sossego caiu 71% – de um total de 96 em março para 28 em dezembro.

A Prefeitura atribui a redução das reclamações as diversas ações adotadas para combater o problema. Entre os meses de junho e julho, as denúncias de perturbação do sossego despencaram em todas as regiões da cidade. Nesse período, a Polícia Militar intensificou seu trabalho por meio do Programa Atividade Delegada mantido pela Prefeitura e com o convênio com o município para a fiscalização do trânsito.

A Prefeitura também relaciona a queda das reclamações ao trabalho do Departamento de Fiscalização de Posturas, a Atividade Complementar pela GCM, a instalação das placas anti-fluxo proibindo estacionamento em determinados pontos dos bairros e a lei que limita o funcionamento das adegas até 22h.

No Urbanova, um grupo de sete associações de moradores do bairro Urbanova, mantém um convênio com a Prefeitura de São José dos Campos para contratação da Atividade Complementar da GCM (Guarda Civil Municipal) com o objetivo de prevenir a realização de fluxos do funk e festas com aglomerações nas ruas do bairro.

A Atividade Complementar  consiste na contratação de agentes municipais para garantia da segurança em espaços privados. Os guardas prestam este serviço durante seus horários de folga com respaldo operacional e jurídico, a exemplo do que já acontece com os policiais militares na Atividade Delegada.

“A ação de combate ao fluxo é uma iniciativa que está dando certo, resolvendo o problema da perturbação do sossego e, por esse motivo precisa continuar”, afirmou Rodrigo Hamam, morador do Urbanova, na região oeste.

Flexibilização: em abril de 2021 entraram em vigor as regras da Fase de Transição do Plano São Paulo com a retomada das atividades de diversos setores, como bares, restaurantes, lanchonetes e similares, o que também pode ter impactado nas redução das aglomerações nos espaços públicos.

Foto: Divulgação

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here